Gírias, a linguagem dos jovens.

Bom nos jovens temos uma linguagem um tanto diferente, então achei bacana conversar um pouco sobre o assunto.

   
a linguagem dos jovens. gírias

Vou começar falando no plural nós, porque eu também sou jovem e participo muito da linguagem dos jovens.
Porque falamos com gírias?
Qual a graça de falar ou escrever gírias, ou abreviaturas que não estão dentro dos padrões da língua portuguesa?
O nosso modo de falar pode influenciar a nossa vida?
É errado falar gírias?
Essas perguntas eu não faço somente para você leitor, eu faço para mim, também, afinal de contas sou uma adolescente e também uso esse tipo de linguagem em certos momentos!
Nós, geralmente, falamos as gírias para parecermos mais enturmados com os nossos grupos de amigos, ou falando da maneira jovial ”com a galera”. Quando falamos muito de uma mesma maneira, isso acaba implicando em nossa escrita, o que não é nada adequado escrever com gírias! Eu mesma já passei por uma situação em que a professora me mandou fazer uma redação e sem querer ou ao menos perceber acabei escrevendo algumas abreviações, daquelas mais usadas nos bate-papo da internet, o que acabou prejudicando a minha nota.


Talvez, não seja completamente errado falar gírias, mas creio que não é de todo correto! Por isso devemos aprender a diferenciar as situações em que estamos para saber, também, qual linguagem iremos utilizar! Para todo tipo de situação, existe uma maneira de se portar ou falar.
Vou dar o exemplo de uma situação, que muitos de nós, já passamos, estamos prestes a passar ou passaremos.
Mariana esta indo à uma entrevista de emprego, ela é uma jovem muito despojada e um tanto espalhafatosa. Ela está usando um vestido vermelho um pouco curto, um salto alto preto, brincos grandes, um batom vermelho e maquiagem escura.
Na hora da entrevista de emprego, quando a pessoa que a irá entrevistar vai falar com ela, ela começa a usar gírias e linguagens inapropriadas, vejam:
- OLá senhorita, como vai? Pergunta, talvez, futuro patrão dela.                                                            
- Eu tô de boa e você?- ela responde.
- O que a senhorita gostaria de fazer aqui?- pergunta o chefe, vamos chamá-lo de Marcos. Observando que ele está bem vestido, e tem uma maneira educada e eloquente de falar.
-Eu quero um trampo para ganhar alguma grana. Responde Mariana, sem o mínimo de classe.
Somente, nesse pequeno trecho podemos perceber a falta de capacidade da garota de assumir qualquer cargo em alguma empresa. Sua maneira de falar e de se portar não demonstra que ela tenha capacidade de trabalhar eficientemente.Se naquele momento aparece-se outra pessoa, mais educada com um vocabulário um tanto mais avançado é obvio que ela conseguiria o emprego.
Quando falamos muito na linguagem dos jovens de hoje ou "da galera", acabamos deixando-as se tornarem fixas em nosso vocabulário, o que não podemos deixar acontecer. Não estou dizendo que é totalmente errado falar gírias, afinal de contas eu também falo, só estou tentando dizer, que devemos saber, quando, onde e como usá-las.





Comentários