06 julho 2013

Entrevista com Bebete Alvim.

Entrevista com Bebete Alvim

Olá pessoal, estou muito feliz por estar trazendo para vocês uma entrevista com a nossa querida escritora Bebete Alvim, para que você possam conhecer mais sobre a vida e a carreira dela. Espero que gostem, aqui estão todas as respostas originais sem nenhuma alteração.
Foi tudo feito com muito carinho.


Então vamos a entrevista. O que está em negrito são as perguntas, o que não está, são as respostas.




1-             Desde quando você escreve?

Comecei escrevendo poesias, garota ainda, com meus oito anos de idade. Já a minha carreira literária vem desde 1992, por aí, quando se consolidou mesmo.

2-             Quais dos seus personagens são inspirados em pessoas da sua vida real?

De um dos meus livros infantis, o “Vovô e o Gênio”, a personagem Anaísa, é uma de minhas sobrinhas, e para ela eu escrevi o livro. Na época, ela estava com nove anos de idade. E de meu livro “Os Net-Boys e o Gênio do PortalW3”, para jovens, o protagonista, Raphael, é um de meus sobrinhos. Escrevi a história tendo-o em mente, já que, nela, ele estava com seus 12 anos, por aí.

3-             O que te inspirou a criar o Gênio Z@n-revla ?

A própria Web... Por causa da história, haveria de ter um gênio, cuja morada seria mesmo dentro de um portal, o W3, que são os três “w”, a World Wide Web (Rede de alcance mundial) de um endereço da internet. Ele “é o cara” que faz a conexão e toda a comunicação com os Net-Boys.

4-             Por que você decidiu abordar a causa do meio ambiente no livro Os Netboys?

Porque esta e tantas outras são as questões que abordam o principal motivo da conexão do Gênio Z@n-revla com os garotos da banda. Através deste personagem, eu principalmente. São eles que deverão cuidar de nosso planeta, para que eles e as próximas gerações tenham um futuro melhor! Quem já leu, ou irá ler, o livro, vai notar a importância das tarefas solicitadas pelo Z@n-revla...deveria colocar “minhas palavras” em sua boca, para atingir o público leitor, jovens

5-             Qual o primeiro livro que você publicou?

Foi o livro infantil “O Menino e a Lua”, reeditado, recentemente, pela Editora Apedezinha.

6-             Como sabemos, você também é compositora. Qual a primeira música que você compôs?

Ichi... Faz tempo, viu? Não saberei responder esta... Foram tantas, na época! Posso, inclusive, ter composto mais de dez como a “primeira” música. (Rs) De lá pra cá, tenho mais de 350 canções...
7-             E qual a primeira música que você gravou?

         A primeira música minha gravada por um artista foi a “Nossa Terra”. As que eu própria gravei são muitas. Algumas estão no Youtube, onde possuo vários vídeos meus. Alguns deles são com minhas canções e interpretação.
       

8-             Com quantos anos começou a tocar violão?

Com, mais ou menos, 13 anos de idade.

9-             Teremos alguma novidade no seu trabalho para este ano?
Se Deus quiser! Acabei de lançar mais um livro para os jovens, o “4 MENTIRAS DESLAVADAS”, publicado pela Editora APED. Antes de o ano terminar, terei mais duas ou três obras publicadas.

10-Por que você gosta tanto de incentivar a leitura?

Como autora, creio que devo mais que qualquer um, primeiramente! Estando com a garotada, em meu espetáculo, o “Giram Letras”, é este o meu papel durante o tempo em que o apresento no palco. As crianças precisam de estímulos. Se alguém as leva para o mundo da imaginação, através da leitura prazerosa, ensinando o caminho, elas são capazes de gostar muito mais de ler. Tenho uma citação: “O livro infantil é remédio que cura a criança desprovida de sonhos.” Percebe? Desejo que toda criança se torne um adulto que continuará gostando de ler para o resto de sua vida!
11-Você acha que existe idade para começar a escrever?

Sim! Profissionalmente! Já, quando se é criança, o exercício de “escrever” é muito bom. Geralmente, a meninada começa escrevendo uma redação, uma poesia, poemas. Para se chegar à prosa, leva-se um tempo. E se tomar gosto então... Quem sabe, não irá se tornar um excelente escritor?
     12-O que uma pessoa precisa para se tornar um bom escritor?

           Primeiramente, deverá possuir o dom para a “escrita”, néh? Deverá gostar de ler, o que ajuda muito, principalmente, em saber a grafia exata das palavras. “O bom escritor sabe escrever corretamente!” Deverá, inclusive, antes de publicar seus “escritos”, fazer as devidas revisões. Deverá gostar de “escrever”. Só isso... (Rs) Agora, se a pessoa escrever e publicar, e der “sorte” de ter uma obra como um best-seller, será a glória. Mas, nem sempre, esta condição lhe dá o título de “bom” escritor. Entende? Podemos dizer assim: o bom escritor é aquele que a gente lê e gosta de seu estilo... Do jeito como ele poderá envolver o leitor com a sua história. Aí, sim...

13- Em sua opinião qualquer um pode se tonar um musicista?

O musicista pode ser um amador ou um especialista em música. No primeiro caso, há aqueles que curtem um instrumento, têm o dom para tocar, e podem, inclusive, com aulas, ou não, entusiasmar uma plateia pequena ao seu redor. Aqueles que tocam sem muita pretensão. Já os especialistas nasceram para “brilhar”, digamos assim. São os que estudam, até oito horas por dia, em conservatório, e se apresentam em concertos. E há os artistas que, amadores ou não, são chamados de músicos. Mas, na minha opinião, se a pessoa “leva jeito”, sente que possui o dom, isto já é um bom caminho... Resta saber se ela quer ser apenas amadora ou “musicista” de verdade! Eu sou apenas uma amadora, com meu instrumento, o violão. Mas estudei “solfejo” e “canto” na Ordem dos Músicos do Brasil. Possuo a carteira de “músico”. Sei “cifrar” uma canção..
14-O que você sente ou sentiria ao olhar uma critica negativa com relação ao seu trabalho?
A crítica faz parte... De qualquer trabalho! Eu, como artista, estou “de boa” com esta questão. Claro que a gente deseja que o nosso trabalho seja bem visto aos olhos dos críticos, mesmo de quem não entende nada de crítica... Mas, a crítica negativa deverá ter lá o seu fundamento. Se eu sentir que ela foi mal-intencionada, com um propósito descabido, impróprio, aí, sim, eu irei fazer “cara feia”... (Rs) É como se alguém tratasse mal um filho meu, néh? Porém, graças a Deus, até o momento, as críticas têm sido favoráveis... Que continuem assim!

         15- Quantos livros você já tem publicados?

Cinco infantis e dois para o público jovem (esses, impressos). Oito, em e-books. Dois livros infantis em sites (Banco Santander e Câmara dos Deputados). Mais 9 livros de uma coleção Infantil, com a minha adaptação de texto. Total: 26 livros. E ainda este ano, deverei publicar, se Deus quiser, mais três: poesia, romance, e um ensaio para os jovens. Por enquanto!
 
16- Qual o seu publico preferido? Por quê?

O meu “start” como autora se deu com os livros infantis. Depois, comecei a escrever os
juvenis e também os livros para adultos. São: conto, ficção, romance, crônica e poesia.
Eu gosto muito de passear por estes gêneros. Acredito que meus “mentores espirituais” também se deliciavam com eles, assim como eu! Portanto, não tenho um público assim tão preferido. Se minhas obras atingirem os leitores e eles se sentirem agraciados com elas, cada qual para cada qual, então estou feliz por isso.
17- Sinta-se à vontade para deixar um recadinho aos seus leitores.

       Meus leitores são um dos meus tesouros! Vocês, que acompanham a minha carreira, que leem minhas obras, gostam delas e se sentem agraciados com a leitura... Para vocês, o meu carinho e a certeza de que estarei sempre lhes levando um pouco de meus “escritos”, sabendo que eles poderão fazer parte também da história de vocês enquanto leitores! Agradeço a “preferência”, com a certeza de que possuo, sem dúvida, nesta minha carreira literária, o apoio de vocês, pois o que vale um escritor sem leitor? E aos leitores deste belo blog da amiga Séfora Silva, que conseguiram chegar com a leitura desta entrevista até aqui, por se interessaram em conhecer esta autora, que muito tem a se orgulhar por ser conhecida, agora, de vocês... Deixo, neste espaço agradável, o meu grande abraço e minhas sinceras saudações literárias para todos! Obrigada, querida Séfora, por esta oportunidade! Bjôs literários...



8 comentários:

  1. Séfora, querida!!
    Que entrevista legaal!! Adorei, muito conhecer mais um pouco da minha parceira Bebete!! Muito legal :D

    Beijos e Sucesso!!

    http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha assim que tiver tempo vou correndo ver o teu blog.
      obrigado pelo carinho.
      abraços!!!

      Excluir
  2. Olá! Adoro conhecer autores brasileiros,, de verdade acho tão bacana! :
    temos tantos talentos escondidos que são poucos divulgados.
    beijoos!

    http://tamigarotaindecisa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi é mesmo muito bom conhecer novos autores, fico feliz que tenha gostado.
      abraços!!!

      Excluir
  3. Olá.
    Eu amo conhecer mais dos autores brasileiros.
    Atualmente adicionei ela no face e me pareceu mega legal ^^
    Desejo que o livro seja um maior sucesso.
    bjus
    Tamires C.
    http://de-tudo-e-um-pouco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela é mesmo um amor de pessoa.
      Fico fico feliz que tenha gostado, mesmo viu.
      Abraços!!

      Excluir
  4. Gostei muito do que vi !
    Muito difícil encontrar espaços bacanas como este :_)

    Deixo o meu aqui caso queira dar uma olhada,

    http://bolgdoano.blogspot.com.br/

    Agradeço desde já !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz só de ver que você gostou do meu cantinho.
      E pode deixar, que assim que eu tiver um tempinho vou correr para olhar o teu blog viu?
      Abraços.

      Excluir

Seu comentário é muito importante para mim. Diga o que acha, e ajude a transformar o blog a cada dia.