Entrevista, Lucas Chagas.

Olá pessoal, seu que estou sumida, mas hoje trago para vocês uma entrevista, com o amigo e escritor, 
Aqui nesse link vocês podem conhecer um pouco mais sobre o autor, e ver onde podem adquirir o seu exemplar do livro A Ideia. 

Todas as respostas aqui são originais, e sem nenhuma alteração, espero que gostem.
         

  

1-    Nome, idade. Onde mora, onde nasceu? 
Lucas Chagas. 23. Recifense, de nascença e vivencia.

2- Escreve desde quando?
Desde sempre. Nunca quis ser escritor, mas sempre escrevi muito. Quando criança tinha um caderno que escrevia histórias, ou modificava o fim das histórias que ouvia na escola ou igreja. Aos quinze anos escrevi meu primeiro livro, um suspense policial. É uma vontade que adoro, acho que não tenho muito como escapar.

3- Lucas você tem algum gênero literário em especial que você goste de ler?
Como leitor, gosto da maioria dos gêneros (meus preferidos são romances, suspenses, thrillers). Como escritor, gosto muito de ler os romances clássicos, eles me inspiram sempre.
 
4- O que gosta de fazer nas horas vagas?
Gosto muito de ouvir música. Dar uma volta pelo centro da cidade.

5- O que te motivou a escrever o seu primeiro livro A ideia?
Às vezes o que a gente não tem (ou perde) nos motiva mais do que o que temos.

6- Pretende dar continuidade a carreira de escritor?
Sim. Porém é difícil conciliar a literatura com minha formação em engenharia ambiental, que também amo. Sinto também a necessidade de trabalhar bastante “A Ideia” ainda. Parece que tudo leva tempo.

7- Já viveu alguma situação igual ou parecida com as vividas por algum de seus personagens?
Várias (rsrs). Inspiro-me bastante no que vivo, gosto de trazer situações corriqueiras sob uma nova perspectiva. Tem algumas situações do livro que aconteceu realmente comigo. Acho que continuará a ser uma tendência minha nos próximos trabalhos.

8- Seus leitores terão alguma novidade com relação ao seu trabalho, ainda esse ano?
Esse ano, creio que não.

9- Fora o dom de escrever, tem algo mais que você considere um dom, e que você possua?
Agradeço o “dom” (risos). Não tenho mais talento para nada. Sou bem zero a esquerda em muita coisa. (risos).

10- Você se considera um escritor profissional? 
Sim e não. Sim, porque encaro o oficio da escrita como um trabalho que deva ser feito com qualidade, estudo, atualização, dedicação, sempre pensando em quem esse trabalho possa alcançar. Não, porque o escritor profissional muitas vezes tem metas para cumprir, números de paginas para escrever por dia, sem falar no retorno financeiro que pode ser maior, e que no meu caso, e no caso de muitos escritores iniciantes, foi mínimo.

11- Sobre o que, ou quem mais te agrada escrever?
Gosto de escrever sobre situações que vejo na vida, de uma forma geral. Na verdade é mais uma vontade que surge da necessidade de entender. Gosto também de abordar as coisas sobre um ponto de vista um tanto “desesperado” e “sem esperança”, mas tento equilibrar isso com personagens bem construídos e bem humorados (o humor pode ser pessimista às vezes). Acho que nossa vida deva ser feliz e finita, a literatura não.

12- Qual o seu escritor preferido?
Gosto muito de Clarice Lispector, a sensibilidade que aflora do que ela escreve é lindo. Gosto muito de Franz Kafka, o cara consegue pôr tudo no papel, o que pode parecer impossível de transcrever. E da J. K. Rowling. Alguém que te faz ler uma maçaroca de 600 páginas em uma semana de fato tem uma forma mágica de escrever.

13-Quanto tempo demorou a escrever o livro A ideia?
Levei um ano, de 2009 até 2010. Claro que eu não escrevia sempre, devido à faculdade, então houve muitas semanas que não escrevia. Engraçado que terminei o livro perto do réveillons de 2009-2010, e o livro também termina por esse período também (mas sem spoilers, por favor. rsrs). E levei mais seis meses para a revisão, que ocorreu ainda em 2010.

14-Quem mais te apoiou nessa caminhada literária?
Devo agradecer muito à minha mãe, que sempre me apoiou muito, às vezes sem nem saber como. E também à Tarsila Albuquerque, minha amiga que me apoiou e trabalhou meu romance junto comigo, o que às vezes foi bem árduo. Mas sempre divertido.

15-Sinta-se a vontade, e deixe um recado para seus leitores.
Quero agradecer primeiro a todos por ler a entrevista!! E quem não conhece, deem uma chance “A Ideia”, não irão se arrepender.



Abraços.Obrigado pela amizade e pela parceria.

Comentários