04 dezembro 2013

Geraldo Vandré.

Olá galerinha, hoje eu trago para vocês um post sobre música. A postagem talvez seja um pouco longa, mas na minha opinião vale apena, pois ela fala sobre um grande músico, um brasileiro daqueles de dar orgulho. E fico ainda mais feliz sabendo que ele é da paraíba, pois eu também sou.
Essas informações estão sendo tiradas do wikipédia, então caso queira saber mais sobre essa pessoa esplendida, fiquem a vontade. 

O nome da pessoa a qual eu vou mostrar para vocês hoje é, Geraldo Vandré.
Ficheiro:Geraldo Vandré.png

Então eu vou copiar para vocês as partes mais interessantes:


Geraldo Vandré, nome artístico de Geraldo Pedroso de Araújo Dias (João Pessoa, 12 de setembro de 1935) é um cantor, compositor e violonista brasileiro, conhecido por ser um dos nomes mais célebres da música popular brasileira. Seusobrenome é uma abreviatura do sobrenome do seu pai, José Vandregísilo.


Foi o primeiro filho do casal José Vandregísilo e Marta.

Mudou-se para o Rio de Janeiro em 1951, tendo ingressado na Faculdade Nacional de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro, pela qual se formou em 1961. Militante estudantil, participou ativamente do Centro Popular de Cultura da União Nacional dos Estudantes (UNE).

Conheceu Carlos Lyra, que se tornou seu parceiro em músicas como "Quem Quiser Encontrar o Amor" e "Aruanda", gravadas por Lyra. Gravou seu primeiro LP, "Geraldo Vandré", em 1964, com as músicas "Fica Mal com Deus" e "Menino das Laranjas", entre outras.

Em 1966, chegou à final do Festival de Música Popular Brasileira da TV Record com o sucesso Disparada, interpretado por Jair Rodrigues. A canção arrebatou o primeiro lugar ao lado de A Banda, de Chico Buarque.1

Em 1968, participou do III Festival Internacional da Canção com Pra não Dizer que não Falei das Flores, mais conhecida porCaminhando. A composição se tornou um hino de resistência do movimento civil e estudantil que fazia oposição à ditadura militar durante o governo militar, e foi censurada. O Refrão "Vem, vamos embora / Que esperar não é saber / Quem sabe faz a hora, / Não espera acontecer" foi interpretado como uma chamada à luta armada contra os ditadores. No festival, a música ficou em segundo lugar, perdendo para Sabiá, de Chico Buarque e Tom Jobim. A música Sabiá foi vaiada pelo público presente no festival, que bradava, exigindo que o prêmio viesse a ser da música de Geraldo Vandré.

Simone foi a primeira artista a cantar Pra não dizer que não falei das flores após o fim da censura.

Hoje, Geraldo Vandré reside no centro da cidade de São Paulo, mas sempre viaja para o Rio de Janeiro ou Imbituba, no litoral sul de Santa Catarina. Em 12 de setembro de 2010 (dia de seu aniversário de 75 anos), Vandré concedeu no Clube da Aeronáutica no Rio de Janeiro uma polêmica entrevista2 ao jornalista Geneton Moraes Neto, na qual critica o cenário cultural brasileiro desde os anos 1970 e afirma que seu afastamento da música popular não foi causado pela perseguição sofrida pela ditadura militar, mas sim pela falta de motivação para compor ao público brasileiro, vítima do processo de massificação cultural.
Ainda em 1968, com o AI-5, Vandré foi obrigado a exilar-se. Depois de passar dias escondido na fazenda de Aracy de Carvalho Guimarães Rosa, viúva de Guimarães Rosa, falecido no ano anterior (setores da imprensa afirmam que ele também teria sido escondido pelo governador de São Paulo Abreu Sodré no Palácio dos Bandeirantes), o compositor partiu para o Chile e, de lá, para aAlemanha e França. Voltou ao Brasil em 1973. Até hoje, vive em São Paulo e compõe. Muitos, porém, acreditam que Vandré tenha enlouquecido por causa de supostas torturas que ele teria sofrido pelo governo militar. Em entrevista no ano de 20103 essas especulações foram desmentidas pelo cantor, dizendo que só não se apresenta mais porque sua imagem de "Che Guevara Cantor" abafa sua obra.[carece de fontes]


Estilo

Com estilo erudito, Vandré sempre se expressou e por poucos foi compreendido. Em sua entrevista com Geneton, ele foi questionado várias vezes quanto à caricatura que fizeram da sua vida e mais uma vez tentou mostrar a mesma realidade que tentara no passado, mas parece que mais do que nunca permanece incompreendido.

Todas as informações a cima foram copiadas do Wikipédia.
Depois de ler tudo isso, eu ainda me pergunto. Tem como não admirar uma pessoa dessas?
Ele teve forças para lutar, sua música falava por ele, e isso me encanta, porque ele cantava aquilo que não podia falar, e mesmo sofrendo, sofreu com honra pelo seu país, e pela sua música.

Espero que tenham gostado do post, abraços!!! Até logo!!!


Vou deixar aqui para vocês ouvirem a minha música preferida dele:

Pra não dizer que não falei das flores.



3 comentários:

  1. Oi Sefora.. eu lembro de ouvir falar nele. Mas não tenho certeza.
    Na verdade acho que estou conhecendo agora.
    Muito legal você postar isso, mostra que você tem orgulho do talento brasileiro..

    beijos
    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Amei, muito interessante seu blog. Abs
    http://cristinadeutsch.blogspot.de

    ResponderExcluir
  3. Nossa, achei ótimo saber um pouco mais sobre ele... não sabia nem o nome dele acredita?

    XOXO
    umnovo-roteiro.blogspot.com
    PS: te vejo lá no meu cantinho, né?

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim. Diga o que acha, e ajude a transformar o blog a cada dia.