08 fevereiro 2016

Resenha O vale de Elah

O Vale de Elah
Titulo: O vale de Elah ( As crônicas de Adulão)
Autor: Carla Montebeler
Editora: Edição e publicação própria.
Ano: 2015
Edição : Segunda
H
Sinopse: O Vale de Elá começa com as reminiscências do ancião Samá, relembrando seus tempos de combate na construção do Reino de Israel. Quando jovem, a ambição de sua mãe o leva a fugir do povoado onde morava para salvar sua irmã de um casamento imposto e da dívida recorrente da negociação do dote. Ele integra então aos guerreiros que haviam rompido com o rei daquela época, Saul, e aliado a Davi, candidato a sucessor do trono devido a uma profecia. A jovem aldeã Nazaré acompanha seu amado nesta fuga e o trio chega ao vale de Elah, onde são recebidos e integrados à comunidade que vivia na caverna de Adulão. Samá percebe que a vida de pastor de ovelhas havia ficado para trás quando inicia seu treinamento de combate nesse grupo formado de guerreiros descontentes com o sistema em vigor. Devido a sua altura e grande destreza com a espada, logo ele passa a contar com a confiança e amizade não só de Joabe, capitão que treina os milicianos, mas do próprio Davi.O drama de Davi e sua família, os motivos da ruptura entre Saul e seu principal capitão, coincidem com o início da formação da família de Samá. A calma da narrativa desse primeiro tomo esconde um segredo: muito drama, guerras, risos e lágrimas ainda estão por vir. Deixe-se conduzir nas memórias de um homem para ver o descortinar do surgimento de todo um reino através da história desse reino: os hebreus!






O Vale de Elah conta a história do rei Davi, mas através da vida do Jovem Samah. Um jovem sonhador que vive com sua mão louca e interesseira e suas irmãs, uma delas simples e sonhadora e outra interesseira igual sua mãe. O jovem Samah é uma pessoa simples e deseja apenas ser feliz ao lado de sua amada Nazaré.
            O livro traz a história de Samah para contar a história do Rei Davi, isso mesmo, aquele Davi da bíblia que geralmente escutamos desde crianças. Mas aqui a história é contada através da vida de um jovem simples e humilde de forma que não temos o engrandecimento de nenhum personagem e em mesmo a pregação de uma religião.



            A história quase toda é vivida apenas por Samah e conta apenas o que acontece em sua vida então só começamos mesmo a ver o nome de Davi aparecer na história quando Samah abandona sua família e decide ir em busca de uma vida melhor com sua irmã e sua amada e futura esposa.
            Quando Samah finalmente encontra o povo de Davi que ainda não e rei é que começamos a conhecer um pouco mais sobre a história de Davi, sendo que  autora foca bastante em falar como era a vida dentro das cavernas nas quais o povo vivia escondido. Nesse livro não temos ação, com guerras ou algo do tipo. É como se ele fosse uma introdução do que está por vir.
            Esse é aquele tipo de livro bem pequeno, a história é leve e a escrita da autora não possuiu rodeis, ela costuma ir direto ao ponto e mostrar logo o que os personagens querem falar.

            Recomendo essa história principalmente para quem esta a procura de uma leitura rápida e descomprometida, apenas para se distrair.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Diga o que acha, e ajude a transformar o blog a cada dia.