Imaturidade, amor e o tempo.

A dias em que escrever é melhor forma de relaxar e deixar o mundo real um pouco de lado. Então, compartilho com vocês o escrito simples e espontâneo, daqueles que a inspiração surge naturalmente, quando não temos nada para fazer e estamos apenas observando o céu.



Resultado de imagem para ceu e relogio





Hoje escrevo sobre imaturidade, amor e o tempo. 
Eles eram jovens de mais para entender o que era o amor.
Jovens de mais para perceber que peças iguais não completam o mesmo quebra cabeça, que amar é muito mais do que estar junto, que amar é saber lidar com as diferenças, fazer as pazes após uma discussão, aceitar até mesmo os defeitos pois quando se ama, não se ama apenas a qualidade, ama-se o todo.
Eram jovens de mais para saber que o tempo pode ser cruel mas também pode ser amigo, que o amor sem sabedoria nem sempre é o suficiente.
Imaturos de mais para saber interpretar os silêncios e decifrar os olhares.
Ela imatura de mais para perceber que ele estava indo embora, ele, imaturo de mais para perceber que talvez não tivesse mais volta.
Eram imaturos de mais para saber que amigos também se amam.
Orgulhosos de mais para perceber que estavam errando.
Burros de mais para perceber que estavam se magoando.
Mas o tempo, é um enigma, ele pode levar embora, mas também pode trazer, ele pode tirar tanto quanto pode dar, e tudo o que tiver de acontecer acontecerá. O tempo, ele passa. O amor, se for verdadeiro, independente do tempo ele volta. A imaturidade a vida transforma em sabedoria. 



Comentários